Família

Um catamarã de oceano?

Em todos os salões, perguntam-nos sempre as mesmas coisas... Eis as perguntas mais comuns do outono passado, com as respetivas respostas.

12 de abril de 2023

"É realmente possível partir para navegar no oceano com os vossos catamarãs?"

- O Atlantic Rally for Cruisers chamado ARC, é uma regata amigável entre velejadores, que atravessa o Atlântico das Canárias às Antilhas. A edição de 2011, com mais de 200 barcos participantes, largou no domingo passado com 30 multicascos na linha de partida, entre os quais 12 Lagoons. Isto faz da Lagoon o estaleiro de catamarãs mais representado, à frente da Catana e Alliaura. Digamos que podemos considerar a travessia do Atlântico como uma boa prova de navegação de oceano, não acha? Principalmente porque quase toda a série está representada: dois Lagoons 380, um Lagoon 400, três Lagoons 420/421, dois Lagoons 440, três Lagoons 560 e um Lagoon 620!

11 Lagoons  estão neste momento a atravessar o Atlântico com o ARC.

“Os catamarãs Lagoons são verdadeiros barcos ou são somente casas flutuantes?”

Um dos prazeres do cruzeiro, sem considerar a navegação, é encontrar ancoradouros, praias desertas, passar o tempo mergulhando em água morna, descobrir peixes, paisagens, gente nova... As pessoas que fazem navegação de oceano, como, por exemplo, quem faz a volta do Mediterrâneo ou atravessa o Atlântico, contam-nos que passam mais ou menos 30% do tempo em navegação e, mais ou menos, 70% ancorados. É bom ter um barco que oferece todos os confortos de uma casa. Os Lagoons são barcos capazes de atravessar o Atlântico e oferecem um alto nível de conforto até no outro lado do mundo!

Jaco Kruger e o seu Lagoon 500 fundeado nas ilhas de Cabo Verde, durante a viagem de volta para a França, partindo da África do Sul.

“Os seus barcos não são destinados somente ao mercado de aluguer?

No ano passado vendemos mais de 250 barcos, valor que representa a maior produção de catamarãs à vela no mundo. Aproximadamente 15% destes barcos foram adquiridos por empresas de aluguer, enquanto 85% foram comprados por particulares. Não podemos portanto dizer que os nossos barcos foram feitos somente para o mercado de aluguer, pelo contrário, são principalmente para armadores que apreciam o conforto e amplos espaços.

Encontro entre armadores Lagoon em Porquerolles, em junho de 2011.